Nos 54 Anos da Morte de Filipe Gameiro Pereira

Hoje 28 de Abril de 2022 decorrem 54 anos da morte de Filipe Gameiro Pereira.
Relembro esse triste dia em que o acompanhei, com a minha mãe, irmã e muitos amigos, até à campa no cemitério de Queluz onde ainda se encontra. Nesse mesmo dia embarquei para Angola num DC-6 cargueiro com destino ao Negage onde cumpri o resto do meu serviço militar na guerra colonial.

Mais tarde tomei conhecimento que em Agosto desse ano “quiseram todos os componentes do VI Curso Nacional de Aperfeiçoamento render sentida homenagem ao percursor dos Cursos Nacionais de Arbitragem”, descerrando uma lápide onde se pode ler: Homenagem dos Árbitros Portugueses a Filipe Gameiro Pereira.
Tenho muito orgulho na sua memória. Ser reconhecido pelos seus pares é mais importante que qualquer outro elogio venha ele donde vier!

Capa do Boletim “O Árbitro” de Abril de 1968
Homenagem dos participantes no “VI Curso Nacional de Aperfeiçoamento”, Agosto de 1968
Outro aspecto da Homenagem

Continuando a pesquisar o seu espólio encontrei recentemente um conjunto de cartões que ilustram bem o seu percurso de desportista assim como a dedicação, ao longo dos anos, à coisa do desporto como atleta, fiscal de linha, árbitro e dirigente formador das “Regras do Jogo”.
Complementarmente, desde cedo se dedicou também ao jornalismo desportivo na área da sua formação: As Leis do Futebol. Ver sobre Filipe Gameiro Pereira.

Passados apenas 54 anos do seu desaparecimento tenho observado que ele, como tantos outros, passou ao esquecimento das principais organizações onde colaborou, nomeadamente na Federação Portuguesa de Futebol e na Associação de Futebol de Lisboa.
Li recentemente algures que “um povo sem memória é um povo sem futuro” Fonte
é o que se passa neste caso em que a “Indústria do Futebol” pouco tem a ver com o extinto desporto tão popular.

Para ilustrar esta situação basta recuar um pouco no tempo para se encontrar “vestígios” da existência deste lutador pela causa desportiva que pautava a sua actividade na exigência, rigor e honestidade.

Capa das “Bodas de Ouro da Associação de Futebol de Lisboa” (1910-1961)
A colaboração da Arbitragem com a A.F.L.
Cartão de Sócio de Mérito da A.F.L. (1945)
Os 50 Anos da Federação Portuguesa do Futebol – 1964
Artigo de Filipe Gameiro Pereira sobre a Arbitragem de Futebol

Melhor que as palavras, as imagens ilustram o que acabo de dizer. Basta percorrer o “CV Desportivo”, através dos cartões dos vários cargos que desempenhou Gameiro Pereira, para se ter uma ideia de quão pobre é o registo desportivo português e a pouca importância que se dá à História dos protagonistas do nosso desporto, neste caso do futebol.

Como atleta

“Juiz de Campo” (hoje Fiscal de Linha) Futebol

Como Árbitro de Futebol

Como Dirigente dos Árbitros de Futebol

Último cargo interrompido pela sua morte

Como jornalista desportivo

Colaborou ainda com os jornais “Record” e “Diário Popular”.

Documentos do artigo

2 thoughts on “Nos 54 Anos da Morte de Filipe Gameiro Pereira”

  1. Grande percurso, de alguém que chegou ao topo, subindo a corda a pulso, fruto das suas competências, e, saber, hoje só vemos gente que não vai para servir, outro sim, servirem-se das instituições e sacar todos os proventos daí resultantes.
    Parabéns!

    1. Obrigado amigo Carlos, só agora vi o teu comentário. Conheces bem esta História de Vida dedicada ao Desporto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *